Coluna  ARTIGOS & OPINIÃO 

*** Arraste a barra de rolagem para baixo e leia os artigos.

UMA INTRODUÇÃO EPISTEMOLÓGICA E APORTES HISTÓRICOS DA PSICANÁLISE: PRIMEIRAS FORMULAÇÕES PSICANALÍTICAS

(ESTUDOS EM FREUD I)

Claúdia Franco Miranda Batista

Lisbeth Pereira Gonçalves

Maria do Socorro Ribeiro de Carvalho

Marta de Jesus Freitas

Tânia Viegas Coelho

Lázaro Tavares

 

[

 

 

 

 

 

A partir dos Estudos de Freud dentro de um Cartel Cartel de formação analítica, tomando-se como base para tais entendimentos, os estudos sobre a histeria e sobre a interpretação dos sonhos, marcos fundadores da Psicanálise,

bem como, sobre o determinismo

 

 

 

psíquico, conflitos psíquicos e traumas, no qual Freud busca nomear um novo método para os estudos das Neuroses, partindo da investigação dos processos mentais, posteriormente denominado de Livre Associação...(Leia mais)

ROYAL-BALLET-1024x576

Na constituição do sujeito, a angústia é fincada anterior ao amor e ao ódio. 

f13aa97db41100362c087637f7ae44e3

ANGÚSTIA: DO CORPO À LINGUAGEM

Maria Luzia Pôrto Nolêto de Souza

Psicóloga e Psicanalista

 

 

Estes são considerados derivados dela. Portanto, ela é o afeto humano mais primitivo experimentado pelo sujeito. Ao falar sobre narcisismo, Freud pontuou que o eu é corporal. Na fase primária de constituição do sujeito, o corpo é um condensador de angústia, portanto de gozo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na angústia surgem alguns sintomas corporais e psíquicos quase em série: vazio, antecipação psíquica de acontecimentos.... Trabalhar a travessia das pulsões (invasivas), sentidas no corpo, para uma dimensão linguageira dos sintomas. Isso implica em: perder gozo primitivo no corpo através da entrada na linguagem simbólica em análise.   (Leia mais ...).

PSICANÁLISE - A CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO E SUAS DEMANDAS

Claúdia Franco Miranda Batista

Lisbeth Pereira Gonçalves

Maria do Socorro Ribeiro de Carvalho

Marta de Jesus Freitas

Tânia Viegas Coelho

Lázaro Tavares

A  constituição do sujeito continua sendo um dos grandes desafios da clínica e do

processo de maturação do indivíduo. Neste artigo pretende-se apresentar teoricamente, 

alguns dos fundamentos psicanalíticos relacionados à constituição do psiquismo humano: sua subjetivação, o fenômeno da identificação e suas relações com o objeto, levando em conta a sua inserção na sociedade e cultura vigentes. 

Obra "Operários", da artista plástica Tarsila do Amara

 O sujeito da psicanálise é o sujeito do desejo, delineado por Freud através da noção de inconsciente, uma vez que na atualidade, é possível evidenciar um abalo nessa noção de sujeito de desejo proposta pela psicanálise. Enfatiza-se o saber ao qual o sujeito,  só pode ter acesso através de uma experiência de análise. (Leia mais).

O INCONSCIENTE FREUDIANO E AS TRILHAS DOS FENÔMENOS LACUNARES, DAS TÓPICAS E DOS MECANISMOS DE DEFESAS

 

 

Claúdia Franco Miranda Batista

Lisbeth Pereira Gonçalves

Maria do Socorro Ribeiro de Carvalho

Marta de Jesus Freitas

Tânia Viegas Coelho

Lázaro Tavares

O Inconsciente Freudiano, sua natureza e função, conforme especificado na topografia metapsicológica da psicanálise e sua importância para a compreensão da Psique (realidade psíquica do indivíduo), em que o modelo topológico da mente (1ª Tópica) é apresentado, no qual, verifica-se que o ser humano, no entanto, não se dá conta de todo esse processo de geração e liberação de energia. Para explicar esse fato, Freud descreve três níveis de consciência. Em seguida, a 2ª Tópica é criada, como Modelo estrutural da personalidade (1923).

A partir da 2ª tópica, Freud passa a compreender fenômenos que ocorriam nos sistemas pré-consciente e consciente como manifestações do inconsciente e conceitua tais fenômenos como fenômenos lacunares. Freud nos diz que o caminho do inconsciente está nas lacunas das manifestações conscientes. Os fenômenos lacunares são indicadores da verdade do inconsciente e de sua existência.. (Leia mais...).

Muitas obras literárias refletem as relações de gênero e como estas influenciam na formação da identidade. É o caso de A bolsa amarela, de Lygia Bojunga que procura discorrer sobre os conceitos

 de identidade e gênero, frente à cultura androcêntrica, procurando municiar o leitor que tal fato também ocorre em literaturas voltadas ao público infantil. Assim, este artigo publicado na Revista Letras em Revista, da revista do curso de Mestrado em Letras da Universidade Estadual do Piauí, se propõe a analisar como os temas identidade e gênero comparecem nesse romance infantil.(Leia mais)

IDENTIDADE E GÊNERO NA OBRA

A BOLSA AMARELA, DE LYGIA BOJUNGA

Denise Layana Pinheiro Nascimento

Aurenice Pinheiro Tavares

latencia

UM OLHAR ESPECIAL SOBRE A LATÊNCIA

 

MARIANA DA ROCHA PUIATTI

Psicóloga e Psicanalista em formação

 

 

 

 

Esta etapa do desenvolvimento sexual em que a criança tem um estado de adormecimento, é chamada de estado de latência (Freud, 1989). Neste período, a psiquê cria formas de lutar contra a pulsão sexual que quer sair. Para Freud (1915) a pulsão tem destinos diferentes, mas as que estão mais ligadas com a fase da latência são a sublimação e o recalque.

 

O recalque pode ser considerado como a “moral externa que, aos poucos, é introjetada pela criança e, através dela, que o latente cria os diques, sendo eles o asco, o nojo e a vergonha. Estes são criados para que a criança tenha a capacidade de viver em sociedade de maneira adequada. (Leia mais ...)

O Lugar da Pedofilia na Psicanálise

(Lázaro Tavares, Psicanalista)

Pedofilia, qual o lugar da mesma na psicanálise?

Esta pesquisa pretende buscar na psicanálise as causas, raízes que apontem para a origem da tendência pedófila. Entende-se que não existe somente uma via.

people-2557486_960_720

 Logo, o objetivo é conhecer e apresentar algumas vias por onde possa ser encaixado cada situação da pedofilia. Vamos percorrer este caminho! (Leia mais ...).

 "Nós e desdobramentos"

 Covid 19

Mal-estar, sofrimento e sintoma

Lázaro Tavares, Psicanalista

Pelo binóculo da Psicanálise o que pretendemos fazer é um pensar, um dizer e desdizer sobre o mal-estar, sofrimento e sintoma nos viés da psicanálise. O momento emocional, pulsional que o Suje. O seu emocional, sua ansiedade, seu pânico, sua depressão, seu mal-estar! Trata-se de uma questão, que com certeza, no olhar de Freud, sobre a psicopatologia da vida cotidiana, mesmo tratando-se de uma pandemia, envolve o conhecer-se, o lidar com sua inibição, sintoma e angústia.

Vamos percorrer este caminho! (Leia mais ...).

DEVASTAÇÃO FEMININA: A OUTRA FACE DA ANGÚSTIA

JAKELINE GUIMARÃES

Psicóloga e Psicanalista em formação

A devastação se apresenta como uma forma de gozo feminino que se estabelece na ordem do sem limite, revelando assim a outra face da angústia.Ser Mulher e os enigmas entrelaçados de sua formação.

baroque-st-teresa
freud-e-as-mulheres-livro-390x205

Lacan busca esclarecer tal questão pela formula “a mulher não existe”, dessa maneira se coloca a impossibilidade de definir a essência feminina, uma vez que esta se constitui pela falta, mas precisamente no vazio. (Leia mais...).

ANGUSTIA DESAMPARO E AMEAÇA DA

PRESENÇA DO OBJETO a

(Fragmento de um caso clínico)

 

Lázaro Tavares (Psicanalista)

e

Ana Karla Rodrigues Soares Vieira (Psicóloga e Psicanalista em formação)

angustia 2

A angústia é um afeto que não é recalcado; desamarrada de seus significantes, ela fica à deriva enlouquecida e enlouquecendo o sujeito quando este não dispõe do recurso do simbólico para lidar com ela. Seu estudo permeia a obra freudiana e a ela Lacan dedicou todo um seminário 10.

A não se trata, como é sabido, de um objeto qualquer do mundo sensível, mas de um objeto inapreensível, não representável, do registro do real; concebido como causa, ele está atrás do desejo. Ele pode ser identificado sob a forma de "fragmentos" parciais do corpo. (Leia mais ...)

BORDERLINE
1/1

PROJETO EXPERIENCIAL – TERAPIA PSICANALÍTICA EM CONTEXTOS DE ASPERGER

Lázaro Tavares (Psicanalista)

6f7e3-cute2bchild2bboy2bwith2bteddy2bbea

Não se sofre da síndrome de Asperger, pois ela não é uma doença. A pessoa simplesmente tem Asperger, por ter uma condição neurológica diferente daquela que é a mais frequente na população.

A psicanálise leva em conta dados fenomenológicos, mas repousa sua hipótese diagnóstica de asperger sobre o estabelecimento da posição do sujeito asperger diante do Outro e do objeto.

A intervenção psicanalítica observa as singularidades do asperger e, a partir delas, procura desenvolver mecanismos de ampliação do espectro relacional do asperger, satisfatórios, sobretudo, para ele.

 

O Asperger também está vinculado ao resultado da relação da criança com sua mãe, mais precisamente com o Outro materno . (Leia mais ...)

síndrome-de-asperger-escrita-no-livro-c

SÉRIE FREUD DA NETFLIX COMEÇA

A SER RODADA (Lázaro Tavares, Psicanalista)

AAAABQJeqFnSiO1j3ABCCp_FGvRObK4-xft0V_kt

Visão crítica sobre a Séria.

É uma série de ficção científica, costurada no estilo romance policial, que tem no centro da trama o jovem médico neurologista Sigmund Freud. No suspense, o jovem Sigmund Freud, muito antes de se tornar o pai da psicanálise, une-se à Fleur Salomé e ao inspetor policial Kiss com o objetivo de capturar um serial killer e resolver uma série de mistérios na Viena do século 19. Os oito episódios dessa temporada exploram, com liberdade artística, alguns fenômenos do psiquismo como: sonambulismo, transe mediúnico, visões e premonições, histerias e traumas. Na série, esses fenômenos servem de pano de fundo para as descobertas e estudos do jovem Freud. Evidentemente, a história real da psicanálise passa bem longe do que a série propõe, ao menos nesta temporada. Porém, é uma produção muito interessante que mistura ficção e realidade, ciência e religião, a partir das descobertas da Psiquiatra da época.

 

No seriado, a realidade de Freud e da psicanálise são vilipendiadas de acordo com os interesses do suspense e do seu produtor. Foge à realidade da cientificidade psicanalítica, do pensamento e raciocínio cético de Freud. Não vejo o seriado como um desserviço à psicanálise. Entendo que, mesmo sendo sem noção colocar Freud como um investigador de serial killer, entendo que séries desse gênero costumam fazer muito sucesso, fazendo com que mais pessoas se interessem por conhecer Sigmund Freud e suas teorias.

AMOR: remédio para a angústia que nasce no momento que nascemos.

 Mauricio Novais é pedagogo, psicanalista, poeta e escritor

David Alfaro Siqueiros; Angústia (Mãe do artista), 1950.

A palavra angústia significa basicamente “estreito”, “apertar”, “afogar”, o que origina a clássica

expressão “aperto no peito”, resultado de uma inquietação inexprimível. Deste aperto, isto é, sentimento de desamparo, desconforto e impotência, nasce o amor, ou pelo menos um sentimento de apego ao qual nos habituamos a chamar de amor.  O parto é o primeiro registro conflituoso por que a criança impreterivelmente passará. Desse conflito, metaforicamente, decorre-se a ruptura e, posteriormente, a expulsão do paraíso. 

Portanto nesse momento nasce a angústia fundamental do ser humano: o desejo de ser acolhido. No princípio, o alvo desse desejo é a mãe. Lacan postula que a angústia é primeiramente um afeto especial que "tem estreita relação de estrutura com o que é um sujeito". Portanto, o desejo afetivo da criança faz com que ela se aproxime da mãe a fim de “curar-se” da angústia, ou seja, buscar mecanismos que minimizem seu sofrimento inconsciente decorrente da ruptura empreendida pelo trabalho de parto, fazendo com que ela recorra ao artifício do desejo para obter gozo de seu mal-estar fenomenológico através da sucção e do contato físico com a mãe. Leia mais ....